HISTORIA

   

HISTORIA

     No ano de 2005 no comando do Sr Marcelo Rodrigues foi sugerido pelo GCM Claudemir a implantação de um grupo especializado. Depois de muita conversa  conseguiram convencer o comandante da importância da equipe. Sendo assim a após a seleção dos integrantes, foi realizado em dezembro de 2005 um I-Curso de Patrulhamento Tático/2005, foram vários dias de treinamento intenso, divididos em aulas teóricas e também na prática.     
           
   Organizado pelo GCM Claudemir, trouxeram um instrutor com formação em patrulhamento tático (Força Tática). A parte teórica foi feita na sede da GCM, temas como policia comunitária, direitos humanos, montagem de operações, ações contra o crime organizado, código penal, etc. O curso na parte prática foi voltado ao patrulhamento Tático no atendimento de casos de tráfico de drogas, policiamento durante grandes eventos realizados na cidade, ocorrências de manifestações públicas, reintegrações de posse, crimes com reféns e rebeliões em cadeia. Os guardas receberam ainda orientações sobre técnicas para escolta de autoridades e presos e técnicas operacionais em abordagens e doutrina do patrulhamento tático. 

     Após as aulas teóricas os alunos tiveram que aplicar os conhecimentos na prática, participando de simulações criminais, como por exemplo, assaltos em residência com retenção de vítimas ou ainda distúrbios civis.   Foi realizado ainda instruções de armamento e tiro e pista policial de instrução e de aplicação, no qual o aluno entra em um local que é feita uma simulação dentro de um prédio/local/favela abandonado com indivíduos perigosos, tendo ao mesmo tempo que efetuar disparos em alvos, executar tiros barricados evitando o confronto direto. A instrução treina o raciocínio rápido do Guarda diante de uma situação de risco.

     Após a conclusão do curso, em dezembro de 2005 o GT” Grupo Tático iniciou os trabalhos. As equipes foram divididas em plantões e a GCM passou a contar  com um recurso a mais no combate e prevenção á criminalidade e no apoio as demais viaturas. Já em 2006 o Grupo Tático começou a dar resultados positivos, que vão desde uma simples averiguação até a prisão de acusados de tráfico de drogas, furtos e roubos, prisão de procurados e foragidos da justiça, escolta de presos, etc. No mesmo ano de 2006, durante os ataques do PCC ( primeiro comando da capital), no qual perdemos dois companheiros, a GCMJ percebeu de fato e se convenceu  a real necessidade de manter dentro da corporação uma equipe treinada e equipada para situações críticas ou arriscadas em ocorrências policiais.

       Em Jan/08 foi realizado o II - Curso de Patrulhamento Tático Motorizado, no qual além de ser um dos alunos , tive a oportunidade de coordenar o curso, após muita insistência com o comandante e subcmte da época conseguimos organizar.  O objetivo principal era de aperfeiçoar  os primeiros integrantes e especializar  novos alunos para o patrulhamento tático, por isso que foi denominado o Curso de Ações Táticas.

      Nossa última ocorrência foi em dez de 2008, depois da mudança de governo o a equipe parou de operar, porém alguns integrantes continuaram participando de treinamentos.

     Entre 2009 até junho de 2012 a equipe foi retirada do patrulhamento. Em 2010 o comando da época (2010) escalou os integrantes para  fazer a investigação social da nova turma em 2010.  Alguns integrantes foram promovidos e em 2011 ministraram o Estágio de Qualificação Profissional na GCM de Jandira. 

    Em maio de 2012 ocorreu o 3º Curso de Patrulhamento Tático em Jandira, sendo formado  mais 16 gcms.  De junho de 2012 até janeiro de 2013 a equipe voltou a patrulhar. Porém com a mudança de governo em 2013 e novo comando o serviço de patrulhamento tático foi suspenso.
       
     Em setembro de 2014 a equipe voltou a operar no patrulhamento, depois da realização do 1º Aperfeiçoamento Tático e Ações de Choque ATAC/2014,entre os dias 15 ao 19/09/14 o  que teve também como objetivo aperfeiçoar e formar integrantes para atuar em operações de controle de manifestações sociais.  A Equipe de patrulhamento tático da GCM de Jandira retornou as suas atividades e o nome de Grupo Tático criado em 2005  foi substituído por ROMU (Ronda Ostensiva Municipal).


       Entre os dias  31  de agosto a  12 de setembro de 2015 foi realizado o 4º Curso de Patrulhamento Tático Motorizado, que totalizou 13 dias intensivos de treinamento e com a carga horária 180 horas.
Durante o curso os alunos tiveram aulas de estudo da criminalidade, conduta em locais de alto risco, doutrina do patrulhamento tático, direção evasiva, controle de distúrbio civil, combate em ambiente confinado, abordagem de veículos e pessoas, conduta de patrulha na mata, ocorrências de grande vulto e/ou com reféns, imobilizações policiais, armamento e tiro, equipamentos e tecnologia não letal, APH tático, entre outros assuntos. A exigência do curso foi bem intensa e exigiu muito do condicionamento físico e psicológicos dos alunos. A última instrução foi realizada na divisa de Mogi-Bertioga na  Serra do Mar. 
Além da cobrança dos instrutores, os alunos passaram por algumas privações, como frio e noites sem dormir, tudo isso com o objetivo principal de formar operadores táticos que obtiveram conhecimentos de patrulhamento tático visando atuar nas equipes de ROMU nas GCMs.    Participaram do curso integrantes das seguintes cidades : Jandira, Barueri, Araçariguama, Cerquilho, São Roque, Boituva e Mairinque. Dos 33 alunos inscritos, somente 18 alunos concluíram o curso, os demais foram desligados na semana administrativa do curso e também durante os treinamentos.  O curso foi organizado pela própria GCM e teve instrutores da corporação e também profissionais de outras corporações com especialização em operações especiais.

Desde 2005, quando o grupo foi criado,os integrantes procuram estar sempre buscando o aprimoramento de novas técnicas e modo de atuação no dia a dia do serviço. A equipe já particpou de treinamentos com instrutores de Israel, SWAT/USA, Policia Federal, Exército, GER/Policia Civil e GATE-PM/SP. Outros cursos que merecem destaque são : Estágio de aplicações táticas do BOPE/RJ; Estagio de Patrulhamento Tático BPChoque PMERJ, 12º SWAT/CATI; I - CQB – Combate em ambiente confinado; Agente de segurança de dignitários e autoridades;  Grupo de pronta intervenção;  Pista Tática Policial  (Pst 380, .40, esp. Cal 12 )  e manuseio da submetradora .40 ( FAMAE), SPEC OPS na TEES Brasil, visando sempre o aprimoramento dos conhecimentos.

Os integrantes também atuam como instrutores na GCM de Jandira e adotaram as 03 (três) fases de todo o grupo tático que é: treinar, dar treinamento e operar. Aplicando o ciclo a vida útil de uma equipe tática um aproveitamento 100%. Sabemos que toda corporação que possui um grupo tático com a finalidade de apoiar em diversas ocorrências, em especial de grande vulto é fundamental que a equipe tenha com meta três fases: " Operando, treinando ou dando treinamento. O grupo ou equipe que não colocar em prática as três fases, com toda certeza ao longo do tempo seu trabalho se tornará obsoleto e ultrapassado. 

A vida útil de uma equipe tática e determinada pela capacidade técnica de seus integrantes, uma vez que para operar tem que treinar, ao treinar você terá que colocar em prática o que aprendeu. Agora se por algum motivo a equipe sair das ruas e parar de atuar, os integrantes não podem perder a motivação, uma das formas é multiplicar os conhecimentos adquiridos ao longo do tempo em ocorrências e com os treinos. 

Um comentário:

  1. "A fim de que os Guardas Municipais desempenhe suas função de acordo com os ditames estabelecidos pelas políticas de segurança pública, é necessário que se invista de maneira sólida em seu treinamento e capacitação profissional. Somente um profissional capacitado profissionalmente terá condições de agir de acordo com as expectativas do usuário final do serviço. Portanto, é de suma importância o treinamento permanente e a conscientização do próprio profissional, no que tange a seu dever de controle, fiscalização e promoção da ordem ."

    ResponderExcluir